Episódio 12 – Revelações – 1ª Parte
















































Revelações – 1ª Parte


Para todos que conviveram com o médium Langerton, uma característica marcante destacava-se naquela personalidade ímpar: a fidelidade as orientações espirituais de seus mentores. Desde quando foi chamado por Eurípedes Barsanulfo ao seu mandato Espiritual quando tinha sete anos e meio de idade, não descuidou de seu preparo. (entrevista dada a folha espírita da FEESP em Maio de 1993 – por Altamirando Carneiro),

Desde pequeno via as entidades espirituais até que no ano de 1936 Eurípedes Barsanulfo aparece para ele às margens de um Córrego no município de Veríssimo (MG) lhe deixando uma belíssima mensagem. Dali para frente, mesmo muito Jovem, abraçou a causa do bem, do amor e da caridade tendo o feliz e salvador hábito de obedecer as orientações espirituais. Dizemos salvador hábito porque a missão de muitos médiuns foi encerrada porque agiram, no que concerne as ações espirituais, com o uso do seu livre-arbítrio na satisfação de seus interesses pessoais comprometendo a obra que vieram realizar com repercussões coletivas. Em certas ocasiões os benfeitores, com a anuência do Criador, optam pela desencarnação do médium abreviando assim ao cúmulo dívidas para com as leis de Deus.

Mas há, em grande número, os casos em que os espíritos, benfeitores, ganham a anuência Divina para prolongar a vida missionária do médium, do seu tutelado dadas as conquistas espirituais e acúmulos de preces intercessórias dos beneficiados pela sua dedicação, amor e desprendimento.

Em outros episódios já contamos quantas vezes ele foi salvo pela ação dos espíritos, como neste caso abaixo.


Implante ectoplásmico na artéria aorta


Certa vez, aos dezoito anos de idade, trabalhando nas escavações paleontológicas nas proximidades de Peirópolis, foi movimentar um pedra muito grande e sozinho. Em dado momento o esforço feito foi tão grande que a artéria aorta dilatou e sua vida estava correndo sério perigo. Neste momento viu chegar Eurípedes Barsanulfo (espírito) dizendo-lhe para manter a fé e a calma que eles, os espíritos, fariam um procedimento onde seria implantado um tubo de tecido ectoplásmico (fluídico) que revestiria a artéria aorta normalizando as suas funções. Ele observou Eurípedes à frente de uma equipe enquanto o tubo fluídico era introduzido pelo pescoço normalizando funções físicas e cardíacas. Um grande alvoroço estava à sua volta quando ele se levantou e disse que tudo já havia passado e voltou ao trabalho!

Ninguém soube o que de fato havia acontecido. Somente ele e Deus! Como ele mesmo me disse – aos dezoito anos ganhei minha primeira moratória! Ele ganharia ainda mais uma…

Posteriormente, recebeu orientações para controlar os efeitos do acontecido com tratamento fitoterápico e alguns preceitos alimentares saudáveis para todos nós como, por exemplo, não ingerir nada que fosse gasoso (refrigerantes e etc) e nada que fosse gelado. Orientações estas que ele observou até o último dia de sua existência.

Então, para uma vida tão prematuramente voltada para o bem, e tão bem assistida pelos espíritos, as orientações jamais faltaram em todos os momentos de sua existência.

Acrescentando a toda esta responsabilidade, estava a grande amizade e compromisso espiritual firmado com o médium Francisco Cândido Xavier em uma dedicação e fidelidade que sustentou por trinta anos deixando o Grupo espírita da prece sob orientação do Chico (Emmanuel) para cuidar do movimento em Peirópolis que crescia a cada dia e, também, para que encaminhasse, como sabemos agora os últimos quinze anos de sua existência.


Langerton, Personagem do Livro Hà Dois Mil Anos


É bom que registremos aqui que, a exemplo do que contamos no episódio 6, o médium Langerton aprendeu a guardar segredos espirituais e por isso o Chico sempre lhe confidenciava revelações sobre o presente, o passado e o futuro da humanidade. Muitas vezes nos falava por símbolos e sempre dizia: Não posso aprofundar porque tenho um compromisso com o Chico que só falaria sobre este assunto quando ele estivesse desencarnado. Ora, o Chico desencarnou em 2002 e o Langerton desencarnou em 2003, portanto ficamos nós sem saber de nada destas revelações.

Uma vez lhe perguntei: – Vô, o Chico disso que todos os seus amigos mais próximos nesta vida a maioria está presente em algum personagem dos livros que ele psicografou. Ele me respondeu que essa informação era verdadeira. Bem, perguntei isso em fevereiro de 2003, quando do encontro da caravana do Arco-Iris (equipe das boticas fitoterápicas) em Brasília que anualmente era realizado, dois meses antes do seu desencarne.

Encorajado pela resposta continuei:

- Vô, o Senhor era um grande amigo do Chico, não é mesmo?? Ele me olhou, já antevendo o destino da conversa e disse:

- Sim, eu era um grande amigo dele. Por fim, fiz a última pergunta:

- O Senhor foi algumas das personagens dos livros (romances) que ele (Chico Xavier) psicografou?

Todos aqueles romances eu havia lido pelo menos três vezes, sendo que o Livro Há Dois Mil Anos até cinco vezes. Conhecia todos aqueles personagens. As obras eram empolgantes, cheias de revelações históricas e impressionantes na riqueza de detalhes. Mas acima de tudo repletas de inesquecíveis ensinamentos e triunfos do amor ao próximo. Há Dois Mil Anos, Cinquenta Anos Depois, Ave- Cristo!, Renúncia e Paulo e Estevão! Obras de valor inestimável trazidas pelo benfeitor Emmanuel.

Voltando ao nosso diálogo. O médium Langerton me olhou profundamente, com certeza aguardando autorização para revelar algo que atendesse minhas expectativas. Fixando o olhar no céu estrelado do planalto central, no qual destacava-se cintilante o Cruzeiro do Sul, voltou-se para mim e disse:

-Sim, eu fui um dos personagens que foram retratados no Livro Há Dois Mil Anos!

Suas palavras soaram para mim como uma orquestra sinfônica no apogeu de sua apresentação. A alegria do merecimento daquela resposta tomou conta de minha alma. Minha mente fervia num misto de felicidade e sadia curiosidade. Era mais que uma prova dos laços que ligavam ele, Langerton ao médium Francisco Cândido Xavier, era sobretudo uma prova do compromisso assumido naquela existência conjuntamente em prol da divulgação da doutrina espírita.

- As vezes não é bom lembrar de tudo.. Dando a entender que as recordações lhe tocavam sobremaneira a alma.

Quando me preparava para perguntar o que teria acontecido com ele naquela existência e qual a sua história, alguém se aproximou e o assunto foi encerrado. Ele foi para o seu aposento e eu fiquei uma noite sem dormir lendo novamente o Livro a Dois mil anos!

Não tivemos tempo de voltar ao assunto pois dois meses após ele voltaria à pátria espiritual. Até hoje guardamos este momento com especial carinho em nosso Coração.


As vidas passadas do Médium Langerton


Nosso professor nunca foi direto sobre o assunto de suas reencarnações. No convívio com o médium Francisco Cândido Xavier obteve revelações de várias de suas existências passadas. Num espaço de dois mil anos, todas elas. Outras revelações foram dadas pelos seus próprios mentores espirituais. Tudo isso com o objetivo de reforçar seu empenho no cumprimento de sua missão.

Sempre nos disse que a sua missão na mediunidade curadora estava ligado a uma reencarnação em que veio como médico e nesta não soube aproveitar totalmente a bênção que lhe foi concedida. Também revelou que nós, alunos, não estávamos nesta missão dos “ médicos pés-descalços” (denominação que ele dava a si e aos médiuns receitistas que ele formava na escola de Fitoterapia em Peirópolis da qual tivemos a felicidade de fazer parte) não nos encontramos nesta encarnação para esta tarefa por acaso. Ele conhecia a história de cada um de nós. Mas sempre guardou total reserva sobre isso. Quem de nós estaria preparado para ouvir uma verdade como aquela?

Quem gostaria de saber quantas vezes se comprometeu com as leis divinas ou desperdiçou sagradas oportunidades de ascender um degrau na escala evolutiva? Não estávamos preparados com certeza.

Uma vez perguntei para ele: -Vô, sabendo que não estamos nesta tarefa por acaso o Senhor teria algo a falar do meu passado para reforçar minhas convicções neste presente? Era uma forma elegante de perguntar se ele podia falar alguma coisa de alguma reencarnação minha.

Me olhando nos olhos, isso era difícil para qualquer um quando ele fazia pois sabíamos de sua capacidade de penetração espiritual, me respondeu simplesmente:

- Você acha que tudo que sabes sobre química (aludindo a minha profissão e formação Acadêmica) você aprendeu nesta reencarnação? Então aí está para você uma boa matéria para reflexões. E silenciou.

Não quisemos avançar neste diálogo porque vimos que o assunto estava encerrado e se insistíssemos seria já curiosidade declarada.


Uma Reencarnação como Escravo


Ele guardava no coração com muito carinho e gratidão à Deus uma das suas últimas reencarnações que foi entre os negros escravos no Brasil. Sabia dela nos detalhes mas sempre guardava reserva nos comentários. Em seu nome, por exemplo: Langerton, tem uma parte dele que compõe o que recebeu nesta encarnação como escravo. Nela, como ele mesmo nos disse, firmou em sua personalidade a humildade, o amor à natureza, ampliou seu conhecimento das ervas medicinais, revigorou a fé em Deus, teve contato com a espiritualidade, tudo que um grande missionário deve trazer de berço para servir à Jesus em uma missão de grande relevo espiritual como a que ele carregaria consigo nesta última existência.


Langerton, Um sábio


De forma muito inspirada o Jornalista do “Jornal Espírita – FEESP” Altamirando Carneiro, abriu a matéria que escreveu sobre ele desta forma: “ Langerton, um Homem de poucas letras e muitos diplomas”, fazendo alusão ao fato do médium ter apenas a sétima série e 22 diplomas que adquiriu nos vários congressos que participou, tanto pela paleontologia como pela fitoterapia.

Sim, era um homem simples mas quando ele falava todos ficávamos muito atentos porque a sua sabedoria vinha ora dos espíritos que lhe acompanhavam a Jornada, ora do seu repositório de experiências adquirida nas várias reencarnações que guardava em sua memória.

Sua vida, seus exemplos e suas histórias são destes tesouros que a traça não corrói e a ferrugem não consome!












































Langerton aos 18 anos de idade











































Langerton e Geraldo Nunes, na inauguração do Departamento Espírita Eurípedes Barsanulfo, em abril de 2001.

Este Departamento Espírita funcionava dentro da Residência do Sr. Geraldo Nunes.







Que Deus Abençoe a todos


Muita paz


Geraldo Pereira Nunes – Jacupiranga/SP




RETORNAR AO MEMORIAL DE LANGERTON


Fut7 Veteranos